Sábado, 21 de Outubro de 2017

 
 
Percepção de pouco risco de doenças faz jovens não se protegerem durante o sexoPercepção de pouco risco de doenças faz jovens não se protegerem durante o sexo

21/10/2017 - 17h40   

"A ampla divulgação de que a aids é uma doença que tem tratamento eficaz dá às pessoas, principalmente aos jovens, a falsa sensação de proteção e faz com que elas não se protejam corretamente contra essa e outras Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs)". A afirmação é da infectologista do Comitê de HIV/Aids da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI), Tânia Vergara. A especialista alerta que essa percepção de “pouco risco de morte” por aids é equivocada e não pode ser confundida com uma segurança de exposição indiscriminada ao vírus.

+ Continue lendo

  • Campinas será sede do 1º Encontro de Articulação em Saúde da Região Sudeste
  • ANS quer limitar valor pago por usuários em planos de saúde com coparticipação
  • Justiça Federal derruba liminar que proibia enfermeiros de realizar consultas e pedir exames

ARTIGO

Foaesp: 20 anos promovendo direitos
Foaesp: 20 anos promovendo direitos

Rodrigo Pinheiro*

No mês de outubro, o Foaesp (Fórum das ONG/Aids do Estado de São Paulo) completa 20 anos de fundação. Ao longo destes anos foram inúmeras as lutas que protagonizamos, levando à sociedade a realidade das pessoas que vivem com HIV e aids e chamando a atenção para ações de desmonte do SUS (Sistema Único de Saúde). A militância das organizações não governamentais de luta contra a aids no estado onde estão concentrados os maiores casos de aids do país, impulsiona estratégias nacionais que colaboram para o fortalecimento da resposta comunitária e da batalha constante contra o estigma, o preconceito e a discriminação.
 
As organizações não governamentais possuem papel vital na formulação de respostas sintonizadas à aids. É no cotidiano de centenas de organizações que a epidemia mostra seu lado mais real, que muitas vezes escapa da grande imprensa e dos gestores. Nas portas das ONG que batem as demandas sociais, psicológicas e de cuidado que exibem uma realidade da aids no Brasil distante do "mundo cor de rosa" permanentemente divulgado. Além disto, o papel da sociedade civil ganha mais espaço e importância à medida em que interfere diretamente na formulação de políticas públicas, contestando e barrando ações excludentes e contribuindo para semear ideias de solidariedade e de justiça social.
 
Ao longo da história do Foaesp foram muitas as mobilizações e articulações realizadas. Ocupamos gabinetes, auditórios, ruas e espaços virtuais denunciando descasos e exigindo respeito. A garantia de direitos sempre foi a linha condutora da atuação do Foaesp e, cada vez mais, ações de advocacy são necessárias não apenas para avançar, mas para garantir direitos já conquistados.
 
 

Rodrigo Pinheiro*

No mês de outubro, o Foaesp (Fórum das ONG/Aids do Estado de São Paulo) completa 20 anos de fundação. Ao longo destes anos foram inúmeras as lutas que protagonizamos, levando à sociedade a realidade das pessoas que vivem com HIV e aids e chamando a atenção para ações de desmonte do SUS (Sistema Único de Saúde). A militância das organizaç...

Sobre o autor: * Rodrigo Pinheiro é presidente do Fórum de ONGs/Aids do Estado de São Paulo.


+ Continue lendo

VÍDEOS

Camarote Solidário - 15 anos celebrando a diversidade


Outros Vídeos

EVENTOS

20 anos do Foaesp

O Fórum de ONGs/Aids do Estado de São Paulo (Foaesp) vai comemorar os 20 anos de existência com seminário sobre prevenção. O evento acontece de 26 à 28 de outubro em São Paulo.

...


+ Continue lendo