A websérie “HIV 40 Anos: Aids e Suas Histórias’’, da Agência Aids, será exibida neste mês de agosto na TV Futura. Sua estreia oficial no canal está prevista para o próximo domingo (07), a partir das 21h. Os espectadores também poderão conferir os episódios nas madrugadas de sábado. O primeiro episódio da websérie “HIV 40 anos: Aids e suas histórias” chegou ao Youtube e foi lançado no Cinesesc no 1° de dezembro de 2021, Dia Mundial de Luta contra Aids. A cada domingo, a TV Futura vai exibir um episódio novo.

Sexo, família, maternidade, sorofobia, homofobia e racismo são algumas das discussões levantadas nos episódios dirigidos pela jornalista Roseli Tardelli, diretora da Agência Aids, e a documentarista Aline Sasahara. A série aborda a temática HIV/aids e mostra a relação da doença com as problemáticas sociais fazendo uma viagem no tempo e relembrando os 40 anos de história da epidemia no país e os impactos que ela deixou e ainda deixa na vida de quem vive com o HIV.

“Agradecemos muito os profissionais da TV Futura por exibirem nossa websérie. Mais pessoas poderão conhecer histórias de superação e coragem. Aprender mais sobre a pandemia da aids e maneiras de se prevenir. É importante que as formas de prevenção cheguem a todas as tribos. Esta mensagem está presente na websérie”, disse Roseli Tardelli, diretora da Agência Aids e idealizadora da série.

Com sete capítulos, os episódios trazem histórias de pessoas com mais de 60 anos que vivem com o HIV há mais de 30 anos (Beto Volpe, Jenice Pizão, Américo Nunes Neto) e três jovens que vivem com o vírus há menos de 10 anos (Marina Vergueiro, Priscila Obaci e Diego Krausz). São histórias de superação e resiliência. Momentos de apreensão, compreensão e ressignificação de vida. Um a um, os personagens relatam como cada um vivenciou a revelação do diagnóstico e como seguiu sua trajetória, apesar do preconceito que é o fator presente nestes 40 anos de existência do HIV no mundo.

Jenice Pizão será a primeira história de superação na TV Futura

O primeiro episódio que será exibido pela TV Futura traz a emocionante trajetória da ativista Jenice Pizão, do Movimento Nacional das Cidadãs Posithivas. Professora de História aposentada, ela tem 62 anos, nasceu em Campinas, no interior de São Paulo, é mãe e avó.  Vive com HIV há 31 anos e se envolveu na luta contra a aids ainda nos primeiros anos da epidemia, quando conheceu outras pessoas que viviam com o vírus. Segundo ela, foi neste momento que percebeu a necessidade de lutar por uma vida completa, saudável e alegre.

Na sequência, em 14 de agosto, o Futura traz o depoimento do ator e figurinista Diego Krausz. No dia 21 será a vez de exibir a entrevista com o ativista Nunes. No último domingo de agosto, dia 28, vai ao ar a entrevista com o ativista Beto Volpe. A TV Futura vai encerrar a exibição da série HIV 40 Anos, Aids e Suas Histórias, da Agência Aids, contando as trajetórias de Priscila Obaci e Marina Vergueiro, nos dias 4 e 11 de setembro.

O Futura é uma experiência pioneira de comunicação para transformação social que, desde 1997, opera a partir de um modelo de produção audiovisual educativa, participativa e inclusiva. É uma realização da Fundação Roberto Marinho e resultado da parceria estratégica entre organizações da iniciativa privada unidas pelo compromisso de investir socialmente. O Futura está presente nas principais operadoras de TV por assinatura no Brasil e ainda em uma rede de TVs universitárias parceiras com sinal disponível em TV aberta e parabólicas digitais. Tem alcance de mais de 30.5 milhões de pessoas com 16 anos ou mais, e 6.7 milhões de crianças e adolescentes. É recomendado pela maioria de educadores e gestores escolares.

Conheça os personagens

JENICE PIZÃO


A pedagoga aposentada Jenice Pizão tem 62 anos, nasceu em Campinas, no interior de São Paulo, é mãe e avó. Infectada pelo HIV há 31 anos, Jenice se envolveu na luta contra a aids quando conheceu outras pessoas que viviam com o mesmo vírus. Segundo ela, foi neste momento que percebeu a necessidade de lutar por uma vida completa, saudável e alegre. Seu ativismo político começou com a fundação do núcleo Campinas da Rede Nacional de Pessoas Vivendo com HIV e Aids (RNP+). Na época, Jenice se envolveu também com o Movimento Latino-americano e Caribenho de Mulheres Positivas (MLCM+) e ajudou a coordenar o primeiro projeto no Brasil para mulheres com HIV e aids, resultando no Movimento Nacional das Cidadãs Posithivas (MNCP) em 2005. c

AMÉRICO NUNES NETO

Fundador do Instituto Vida Nova e coordenador do Movimento Paulistano de Luta Contra a Aids (Mopaids), Américo é um ativista que vive com HIV há 34 anos e dedica seu tempo a ajudar outras pessoas infectadas na região Leste da cidade há mais de 27 anos. Começou sua atividade no Instituto Vida Nova Integração Social Educação e Cidadania no ano 2000. A ONG tem por missão apoiar e promover assistência de promoção e atenção à saúde das pessoas que vivem com HIV/aids; prover ações preventivas das IST/HIV/aids e hepatites virais, com vistas a promoção da saúde sexual e reprodutiva. Atualmente, 835 pessoas vivendo com HIV estão cadastradas na instituição sendo participantes das atividades dos projetos em execução.

BETO VOLPE


Beto Volpe, de 60 anos, contraiu o vírus em 1989, aos 28. Natural de São Vicente, no litoral de São Paulo, ele diz que, na época, até os maiores especialistas do mundo se confessavam impotentes perante uma ameaça até então inusitada. Volpe conta que contraiu HIV após ele e o então namorado abolirem o uso de preservativos. Quando o relacionamento terminou resolveu fazer o exame que detecta o vírus e, no final daquele ano veio o diagnóstico positivo. Recebê-lo, no entanto, não foi fácil. O escritor destaca que, na ocasião, o pensamento era regrado pela morte. Ao publicar o livro Morte e Vida Positiva, Beto defendeu que a infecção pelo HIV lhe proporcionou a oportunidade de reescrever sua história.

MARINA VERGUEIRO


Poeta e jornalista, vive com HIV desde 2012. Já passou pela redação de alguns dos maiores veículos de imprensa do país, como UOL, Terra, IG, além de colaborar para diversos sites e revistas, entre eles Elle. Marina se dedica à poesia desde a infância, é frequentadora assídua dos saraus que se espalham pela cidade de São Paulo e, embora tenha poesias publicadas em diversas antologias, não se sentia à vontade para tocar em determinados assuntos que lhe eram tão cruciais e sensíveis por medo e insegurança causados pelos estigma que ainda circundam o imaginário coletivo em relação ao HIV/Aids, mesmo após 30 anos de epidemia. Ao decidir publicar “Exposta”, quis dar voz não somente a si mesma, mas a todas as mulheres gordas e/ou que vivem com HIV e são sexualmente ativas, sejam elas bissexuais, lésbicas, hetero, trans ou não-binárias.

DIEGO KRAUSZ


Diego é paulista com 30 anos. Formado pelo Teatro Escola Macunaíma e pela escola de atores Wolf Maya. Integrou o grupo de teatro musical “Teenbroadway”. Deu vida ao vilão Baltazar Cherbonout no musical “AVATAR” dirigido por Marcos Lopez. Em 2018 atuou no longa-metragem Marighella com direção de Wagner Moura. Foi integrante do grupo DR – Destruindo relacionamento. Em 2020 trabalhou com Thiago Abravanel e Ronnie Von, hoje em dia produz conteúdo para suas redes, dentre vários temas fala sobre como é viver com HIV.

PRISCILA OBACI


Priscila é artista e educadora. Mãe de Melik Rudá e Bakari Mairê. Transita entre teatro, dança e poesia. Formada em Comunicação das Artes do Corpo e pós-graduanda em musicalização infantil. Professora da Dança Materna. Criadora de KISÂNSI – Consciência corporal para Mães – Bebês – Pais. Integrante do núcleo Black Babywearing Brasil – Carregar Preto. Autora de Poesias Pós-Parto (2020 – Oralituras) e a Calimba e Flauta em coautoria com Allan da Rosa. (2012 – Edições Toró).

A websérie HIV 40 anos: Aids e Suas Histórias teve apoio do Senac São Paulo, do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis e da farmacêutica GSK.

Serviço

HIV 40 Anos: Aids E Suas Histórias

Estreia na TV Futura: Domingo, 07 de agosto, 21h

Próximas datas: 14, 21 e 28 de agosto e 4 e 11 de setembro

Ordem de exibição

07/08 – Jenice Pizão

14/08 – Diego Krausz

21/08 –  Américo Nunes

28/07 – Beto Volpe

04/09 – Priscila Obaci

11/09 – Marina Vergueiro

Horário principal: Domingos, 21h

Horário alternativo: Sábado, 00h30

Assista o primeiro episódio:

 

Canal Futura na TV

Você pode assistir nas principais operadoras do país pelos canais:

Sky – 434 HD e 34

Net e Claro TV – 534 HD e 34

Vivo – 68HD e 24 fibra ótica

Oi TV – 35

Clique aqui para assistir no Futura Play

Redação da Agência de Notícias da Aids