Um estudo realizado em sete países das África Subsaariana e apresentado na 11ª Conferência Internacional da Sociedade de Aids sobre Ciência do HIV (IAS 2021) mostrou que menos pessoas vivendo com HIV experimentaram interrupções em seu tratamento de HIV durante e após bloqueios relacionados à Covid-19 em compração ao período anterior à pandemia.

A modelagem inicial do impacto da Covid-19 previu que as pessoas que vivem com HIV teriam dificuldade para acessar seu tratamento devido aos bloqueios nacionais, viagens restritas e sistemas de saúde sobrecarregados. Esses estudos alertaram que a interrupção do tratamento poderia levar a uma duplicação das mortes relacionadas ao HIV.

Uma equipe de pesquisadores da África Subsaariana e dos Estados Unidos liderada por Neha Mehta do Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos queria descobrir se as estimativas modeladas tinham se mostrado precisas. Assim, eles conduziram uma avaliação dos dados de interrupção do tratamento envolvendo Botswana, eSwatini, Namíbia, Ruanda, Uganda, Zâmbia e Zimbábue.

Todos os países avaliados são apoiados pelo Plano de Emergência do Presidente dos Estados Unidos para o Alívio da Aids (PEPFAR) e foram escolhidos para avaliação por terem alta cobertura de tratamento (mais de 80% das pessoas vivendo com HIV em terapia antirretroviral).

Os pesquisadores revisaram os dados trimestrais do programa de tratamento do HIV nos sete países, comparando o número de pacientes que experimentaram interrupção do tratamento nos meses com as medidas ou bloqueios Covid-19 mais restritivos nos países avaliados (abril-junho de 2020) com os períodos de três meses anteriores bloqueio (janeiro-março de 2020) e após o bloqueio (julho-setembro de 2020).

Do total de 5.982 locais de tratamento do HIV nos sete países, 2.541 (42%) locais que fornecem tratamento para cerca de 1,8 milhões de pessoas vivendo com HIV foram incluídos na análise final, pois esses locais poderiam fornecer dados completos sobre as interrupções do tratamento. Os 2541 locais não foram distribuídos uniformemente pelos sete países, mas as análises de sensibilidade conduzidas pela equipe de pesquisa indicaram que isso não afetou os resultados gerais.

Aproximadamente 2,8% dos pacientes incluídos no estudo tiveram interrupções do tratamento antes do bloqueio, 2,3% durante o bloqueio e 2,06% após o bloqueio. Mehta e colegas descobriram que, no geral, 23% mais pacientes tiveram interrupção do tratamento do HIV antes do bloqueio do que durante o bloqueio. Este declínio nas interrupções continuou após o bloqueio, com 10% menos pacientes experimentando interrupção do tratamento do HIV em comparação com o período de bloqueio.

Os resultados variaram por país, com o número de interrupções mais alto durante o bloqueio em Botswana e Uganda e mais baixo na Zâmbia. Notavelmente, a Zâmbia foi o único país que implementou mitigações contra Covid-19 locais e regionais, mas nenhuma restrição de movimento nacional. Apesar dessas diferenças, o nível de interrupção do tratamento após o bloqueio foi menor do que durante o bloqueio ou permaneceu menor em todos os países avaliados, exceto Botsuana.

A equipe de pesquisa também revisou os relatórios fornecidos pelos locais de tratamento. Estes destacaram que os serviços de usaram estratégias, tais como fornecimento de recargas de tratamento em instalações alternativas e dentro da comunidade, dispensando TARV por períodos mais longos, por exemplo, seis meses em vez de três, e implementação de distanciamento social e medidas de mitigação nas clínicas para se adaptar à pandemia, mantendo o acesso do paciente ao tratamento do HIV.

Mehta destacou que é necessário cautela ao interpretar os resultados do estudo. Ao incluir apenas locais de tratamento que foram capazes de relatar dados sobre interrupções, os pesquisadores arriscaram enviesar seus resultados, pois os locais incapazes de fornecer dados também podem ter tido mais interrupções em seus serviços. Eles também não examinaram outras razões para a interrupção do tratamento além de bloqueios e restrições de movimento.