Na sexta-feira (20), a CNC enviou à Presidência da República um plano de ações do Sesc e do Senac, no valor de R$ 1 bilhão. A quantia é equivalente ao corte de 50%, previsto no plano emergencial do governo, que impacta as contribuições de ambas as instituições pelo período de três meses.

Segundo o órgão, a ideia é que essa verba seja mantida no Sistema S para que as unidades do Sesc e do Senac, presentes em mais de 2.400 municípios do país, colaborem com o governo no combate ao coronavírus. Atualmente, o Sesc e o Senac já prestam atendimentos nas áreas de educação, saúde, esporte, lazer, cultura, assistência e programa de distribuição de alimentos, chegando, muitas vezes, aonde o poder público ainda não chega.

Se aceitas, as propostas, também encaminhadas aos ministros da Economia, Paulo Guedes; e da Saúde, Luiz Mandetta; ao presidente do Senado Federal, David Alcolumbre; e ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia; promoverão a mobilização e disseminação de conhecimento, aperfeiçoamento de competências dos profissionais da área de saúde que atuarão no contexto da pandemia, além de apoio e instrumentalização à política pública de combate ao vírus e de segurança alimentar.