“ – Escreva sobre sair da caixa.” Pedido estranho. Justo em um momento que o bom senso manda cada um ficar dentro de casa, dentro da “caixa”.

Aí me lembrei do livro de Machado de Assis Memórias Póstumas de Brás Cubas, em que o autor cita Xavier de Maistre autor de um livro curioso: Viagem à roda de meu quarto.

“Empreendi e executei uma viagem de 42 dias à roda de meu quarto. As interessantes observações que fiz e o prazer contínuo que experimentei ao longo do caminho faziam-me nascer o desejo de o tornar público; a certeza de ser útil foi o que me decidiu”, escreve o narrador.

Essa é a resposta. Temos uma oportunidade, não desejada, de pararmos de viajar no tempo lembrando o passado ou ansiando o futuro e nos concentrarmos no momento presente.

Sou professor, pertenço ao grupo de risco pela idade, tive muitas aulas canceladas e estou reinventando meus cursos para o formato online.

Começar de novo. Descobrir novas formas de ensinar. Embarcar em definitivo no século XXI.

Gostei do desafio. Resolvi tirar o atraso, vou ler uma pórção de livros, vou assistir vários filmes que fui acumulando ao longo do tempo, vou adiantar meus vídeos no Youtube e vou curtir minha casa.

Curioso, estou viajando à roda do meu quarto e descobrindo coisas novas. Sempre estiveram aí, mas eu não via.

Descobri que, todo dia, por volta das 17h30 os urubus passam por cima de casa voando em direção ao oeste. Acho que os urubus moram no oeste. Vi muitos outros pássaros que nem sabia que voavam por aqui. Um bando de maritacas passa fazendo um barulho danado. Vem de onde o sol nasce, voando em direção ao Jaraguá ou Freguesia do Ó.  Final da tarde, retornam estridentes para casa. Todo dia esse desfile no céu e eu não via.

Estou à cata de surpresas e maravilhas.

Um amigo mandou uma mensagem com orientações para fazer exercícios em casa. Gostei da ideia. Já estou no quinto dia de treinamento e resolvi criar a Maratona House. Abri as portas da casa e criei um circuito no quintal. Comecei com um quilômetro e todo dia aumento 50m. Hoje vou caminhar 1250m. Quantos quilômetros até tudo acabar?

Ontem tive a ideia de fazer uma trilha sonora para a caminhada. Fui pro Youtube ver músicas de fanfarras, desfiles militares, dobrados. Estou com uma trilha sonora nota 10 e vi imagens de desfiles muito bonitas. Mais uma memória original para o meu acervo de lembranças.

Sábado passado, estreei minha primeira aula a distância. Amanhã darei a segunda e já vou usar algumas estratégias diferentes, para tornar a aula agradável. Segunda farei atividades de integração a distância em um curso de pós-graduação que iniciará.

Assim que entregar este texto, assistirei um curso a distância que começa hoje e terminará na próxima quarta. Será uma hora e meia por dia.

Muitas organizações estão oferecendo gratuitamente seus cursos a distância. Tem cursos bem interessantes na FGV, na FIA, na Fundação VANZOLINI, no INSPER, na plataforma Coursera. Hora de aproveitar, se renovar, crescer.

Neste final de semana vou preparar a massa e assar umas pizzas. Já estou planejando o pão de mandioquinha.

Uma bela macarronada para o outro final de semana.

As pequenas surpresas que me aguardam. Estou brincando de novo.

Aí me lembrei que a criatividade se torna possível quando lembramos de sair do local comum e exploramos novos territórios, novas possibilidades. Olhar com outros olhos, brincar sem a preocupação de acertar, se surpreender, ter novos insights.

Definitivamente, vou precisar de muitos dias para recuperar o atraso de viver adormecido.

Se Xavier de Maistre demorou 42 dias para fazer uma viagem à roda do seu quarto, eu que tenho uma casa inteira, vou precisar viajar mais.

Que descobertas estão guardadas, escondidas, aguardando olhos que queiram ver!

A vida tem muitas possibilidades.

 

*Ricardo Buonanni é sócio-criador do INDEPE – Instituto de Desenvolvimento de Excelência Pessoal e Empresarial, é youtuber, além de fazer a resenha e comentar vários livros e filmes,  fala sobre a vida e filosofia.

Canal no Youtube: Ricardo Buonanni

E-mail: ricardo@indepe.net