O Ministério da Saúde trocou o comando do Departamento de IST/Aids e Hepatites Virais, responsável pela política de prevenção e controle de infecções sexualmente transmissíveis no país. Como publicou a Agência de Notícias da Aids, a ex-diretora, a médica sanitarista Adele Benzaken, deixou o cargo na última sexta-feira (11), depois de conversa com o novo secretário de vigilância, Wanderson Kleber de Oliveira.

A notícia foi destaque nos principais jornais do País. O jornal “O Globo” destacou que as entidades ligadas ao combate à aids criticaram a decisão do Ministério da Saúde de retirar Adele Benzaken da diretoria do Departamento. O diretor substituto, Gerson Pereira, assumiu no seu lugar.

A “Folha de S. Paulo” publicou que medida ocorreu uma semana após o novo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmar em entrevista à Folha que o governo precisava voltar a estimular a prevenção do HIV, “mas sem ofender as famílias”.

A troca também ocorreu poucos dias após o governo retirar do ar uma cartilha voltada à saúde de homens transexuais, alegando a necessidade de correções no documento.

Saiba mais:

Diretora do Departamento de HIV/Aids do Ministério da Saúde é exonerada

Ativistas e infectologistas brasileiros divulgam cartas e manifestações de apoio à permanência de Adele Benzaken no cargo

Adele Benzaken se despede do Departamento de Aids com carta de agradecimento

Adele Benzaken é aplaudida por toda a equipe em sua despedida do cargo

Ações de prevenção serão agilizadas e ampliadas no Brasil, garante novo diretor do Departamento de Aids, Gerson Fernando Pereira