25/07/2018 - 05h24
Aids 2018: Movimento de aids protesta contra conferência de São Francisco em 2020, nos Estados Unidos

As recentes notícias sobre separação de famílias de imigrantes, detenções e segmentação de profissionais do sexo e comunidades LGBTQ, guerra contra as pessoas que usam drogas e as fronteiras fechadas dos Estados Unidos, mobilizaram o movimento social na tentativa de impedir que a próxima Conferência Internacional de Aids aconteça em São Francisco no ano de 2020.

Em Amsterdã, 11 redes globais e mais de 60 organizações de direitos humanos, incluindo todas as redes nacionais de pessoas vivendo com o HIV, fortemente criticadas e contrárias à decisão, pedindo que o IAS anuncie imediatamente sua decisão de realocar a conferência.

“A decisão de levar a Conferência Internacional de Aids aos EUA em 2020 reflete um grande desrespeito aos pedidos de gays, pessoas que usam drogas e profissionais do sexo de que a conferência seja sediada em um país onde nossa participação seja possível. Além disso, a escolha da Bay Area, literalmente um dos lugares mais caros do mundo, ressalta uma crescente divisão no movimento de aids entre a elite da saúde pública e os defensores da comunidade ”, disse George Ayala, diretor executivo do MPACT Global Action for Gay. Saúde e Direitos do Homem, com sede em Oakland, Califórnia.

Os EUA foram os anfitriões da Conferência Internacional de Aids em 2012. Naquela época, embora o clima político dos país fosse mais favorável aos direitos humanos, redes globais de profissionais do sexo foram forçadas a organizar uma conferência alternativa, que aconteceu em Kiev, na Ucrânia.

Os ativistas argumentam que os Estados Unidos não são seguros para imigrantes, negros e comunidades LGTBQ. Além disso, eles observam que a obtenção de vistos para o país será um grande desafio para as comunidades mais afetadas pela epidemia global de HIV, como resultado das proibições de viagens a ex-trabalhadoras sexuais, pessoas que usam drogas, pessoas que vivem em países muçulmanos e um histórico emergente de detenções de ativistas de direitos humanos nas fronteiras.

“São de longa data, atos de discriminação e violações de direitos humanos contra negros, imigrantes, pessoas trans, pessoas LGBT, pessoas com deficiência e outras populações-chave estão aumentando rapidamente. Talvez o IAS não compreenda que nada – incluindo o estado de direito, acordos internacionais, ação política ou padrões de civilidade – esteja atualmente restringindo a escalada de violência federal ou de vigilantes contra nossas comunidades ”, disse Larry Walker, da Rede de Homens Negros Gays Vivendo com HIV em Atlanta, Geórgia.

“Hospedar a Aids 2020 na Califórnia, que já se tornou um alvo da administração Trump, vai contra os valores da própria ONG Internacional de ser inclusiva, focada em direitos humanos e baseada em evidências. Uma conferência baseada nos EUA durante um ano eleitoral politizado será inacessível e exporá nossas comunidades a graves danos ”, completa.

“Nenhum ato de boa vontade do IAS, de sua rede ou mesmo de membros individuais do Congresso dos EUA pode garantir a aprovação de vistos. Eles também não podem prevenir detenções, interrogatórios, intimidação ou exposição à violência e aos danos uma vez nos EUA ”, disse Naina Khanna, diretora executiva da Positive Women’s Network-USA, uma rede nacional de mulheres vivendo com HIV que vive em Oakland, CA.

Os ativistas pedem que o IAS se reúna com membros da sociedade civil em Amsterdã para que possam fazer parcerias a fim de que a conferência seja acessível para as comunidades mais afetadas pelo HIV.

Uma declaração está aberta para assinaturas de indivíduos e organizações. Clique aqui para assinar: bit.ly/AIDS2020SignOn

 

Para mais informações

Twitter: # AIDS2020ForAll no twitter

Site: aids2020forall.org

 

Redação da Agência de Notícias da Aids

A Agência de Notícias da Aids cobre a Conferência em Amsterdã com o apoio do Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, do Condomínio Conjunto Nacional e da Associação Paulista Viva.

notícias relacionadas

Leonilson tem sua obra celebrada por exposição no Centro Cultural Fiesp

21/02/2019 - 16h17

Depois de permanecer em cartaz no Espaço Cultural Unifor, de 14 de março a 9 de julho de 2017, a exposição “Leonilson: arquivo e memória vivos” foi aberta nesta quarta-feira, 20 de fevereiro, na Galeria de Arte do Centro Cultural da Federação das Indústrias de São Paulo.

Leia mais

Brasil registra uma morte por homofobia a cada 16 horas, aponta relatório

21/02/2019 - 11h31

O STF (Supremo Tribunal Federal) volta a julgar nessa quinta-feira (21) a necessidade de criminalizar ofensas ou agressões cometidas contra a população LBGT (lésbicas, bissexuais, gays, travestis e transgêneros). Não há consenso sobre a questão e projetos sobre o assunto se acumulam sem votação no Congresso. Dados aos quais o UOL teve acesso revelam, contudo, uma questão alarmante: 8.027 pessoas […]

Leia mais

Prevenção no carnaval e planejamento para saúde no Brasil estão entre os destaques dessa quinta-feira (21)

21/02/2019 - 10h14

  Médico recomenda realizar o teste rápido de HIV antes do Carnaval   Alagoas distribui 1,4 milhão de camisinhas e reforça importância do sexo seguro SUS oferta cursos gratuitos para profissionais de saúde na Unifesp Ministro da Saúde deve falar na Comissão de Assuntos Sociais no Congresso sobre programas da pasta   Alerta para folia […]

Leia mais

Personalidades criam "Comissão Arns" para monitorar casos de violação aos direitos humanos

20/02/2019 - 19h27

Um grupo de juristas, ex-ministros, advogados, acadêmicos, intelectuais e jornalistas em defesa dos direitos humanos lançou nesta quarta-feira (20), na Faculdade de Direito da USP, no Largo São Francisco, no Centro da capital paulista, a Comissão Arns, com o objetivo de dar visibilidade aos caos de violação dos direitos humanos.

Leia mais

Apoio

SENACUNAIDSLá em Casa

Apoio Institucional

OABMLMSaber ViverSoropositivo.orgSindicatoCidadão Sustentável