Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2018

 
 
 


Em São Paulo, foliões terão 50 unidades de saúde oferencendo a PEP para prevenir o HIVEm São Paulo, foliões terão 50 unidades de saúde oferencendo a PEP para prevenir o HIV

08/02/2018 - 12h09

 

 

A Profilaxia Pós-Exposição, mais conhecida como PEP, é uma tecnologia de prevenção ao HIV que está disponível na rede municipal de saúde de São Paulo aos foliões que eventualmente se descuidarem ou passarem por situação de risco de infecção neste carnaval. É importante lembrar que o uso do preservativo é sempre o método mais indicado de prevenção às ISTs/aids em qualquer situação. Por isso, o Programa Municipal de DST/Aids (PM DST/Aids), da Secretaria Municipal da Saúde (SMS) de São Paulo, vai distribuir um milhão e meio de camisinhas nos blocos de rua e no Sambódromo durante os desfiles das escolas de samba.

Para casos de imprevistos, como o de a camisinha sair ou se romper, por exemplo, a PEP está disponível em cerca de 50 unidades de saúde da capital paulista, sendo 17 destas, com funcionamento de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h, e 32 serviços abertos 24 horas. Os endereços podem ser conferidos em prefeitura.sp.gov.br/dstaids/pep. A profilaxia consiste no uso de medicamentos antirretrovirais por 28 dias após uma situação de risco de infecção ao vírus. Mas, para a PEP ser eficaz, deve ser iniciada o mais rápido possível, de preferência logo nas duas primeiras horas, com possibilidade de até 72 horas depois da exposição.

"É importante lembrar que 72h não é sinônimo de três dias, nesse caso. A eficiência da PEP é medida por cada hora que passa; por isso, é tão importante procurar um serviço de saúde o quanto antes", diz Adriano Queiroz, coordenador de prevenção do Programa Municipal de DST/Aids.

O coordenador de assistência médica do PM DST/Aids, Robinson Fernandes de Camargo, explica que a PEP não tem contraindicação e todos podem fazer uso da profilaxia, se tiverem se exposto ao risco de infecção.

"A PEP possui pequenos efeitos colaterais que aparecem em algumas pessoas. Há pacientes que relataram náuseas, vômitos e tonturas. Mas não é comum e, se ocorrerem, são leves. Além disso, nossos profissionais estão capacitados para oferecerem assistência adequada", afirma o coordenador.

Robinson complementa que "a PEP é tratada como caso de urgência nos serviços de saúde, principalmente por conta das horas que se passaram. Nós sempre recomendamos que a pessoa seja sincera durante a conversa com o profissional de saúde para a indicação da profilaxia ser a mais correta possível", diz o coordenador.

O médico reafirma que a PEP faz prevenção apenas ao HIV, por isso o uso da camisinha não pode ser dispensado. "Há também as outras infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), bem como a prevenção a uma gravidez não planejada. É preciso sempre combinar essas tecnologias preventivas", conclui.

Saiba mais também sobre a Profilaxia Pré-Exposição (PReP), prevenção ao HIV antes de uma situação de risco em www.prefeitura.sp.gov.br/dstaids/prep

 

Camisinhas

O Programa Municipal de DST/aids de São Paulo vai colocar à disposição mais de 1 milhão e meio de preservativos gratuitos durante todos os dias de folia na capital paulista. Só no último final de semana, cerca de 350 mil foram distribuídos no pré-Carnaval de São Paulo.

Os preservativos poderão ser retirados nos 10 postos médicos instalados por toda a cidade em amplos displays de preservativos, bem como nos dois primeiros dias de desfile das escolas de samba no Sambódromo do Anhembi.

Agentes de prevenção do PM DST/Aids também farão a distribuição das camisinhas em blocos de rua da cidade, dos menores aos que reúnem centenas de milhares de pessoas. A programação e a cobertura completa das ações de prevenção podem ser conferidas nas redes sociais do programa (facebook, twitter, instagram - @programadstaids)