Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

 
 
 


Parada LGBT de Fortaleza critica exclusão do conceito de famíliaParada LGBT de Fortaleza critica exclusão do conceito de família

02/11/2015 - 10h40


A 16ª Parada pela Diversidade Sexual de Fortaleza reuniu cerca de 600 mil pessoas nesse domingo (1º) na Avenida Beira Mar, segundo contagem da Polícia Militar. O evento teve como tema em 2016 "Retroceder jamais, somos família. Exigimos Estado laico e direitos iguais". Os participantes classificam como "retrocesso" o conceito de família como união entre um homem e uma mulher, aprovado em Comissão na Câmara.

"Nos últimos anos tivemos várias conquistas no Brasil que dizem respeito diretamente aos homossexuais, mas em 2015 houve um retrocesso que não pode seguir adiante", defende Paula Marques, que frequenta o evento em Fortaleza pelo segundo ano seguido.

O parecer do relator do projeto de lei que cria o Estatuto da Família, do deputado federal Diego Garcia (PHS-PR), define a família como a união entre homem e mulher por meio de casamento ou união estável e foi aprovado em 24 de outubro.

"A família independe do gênero ou orientação. A aprovação na câmara desse conceito de família será prejudicial por questões de direitos civis, mas vamos continuar mantendo nossas famílias por laços afetivos", argumenta Flávio Pedrosa, ativista de direitos de homossexuais e minorias.

A parada gay contou com shows de humor, forró e música pop. Além dos shows, o "Balcão da Cidadania" prestou serviços de informações à população LGBT. Foram ofertados emissão de documentos (RG e CPF), corte de cabelo, massoterapia e recebimento de denúncias de violação de direitos humanos com o Centro de Referência da Mulher Francisca Clotilde e Centro de Referência Janaina Dutra.


 

Fonte : G1